sábado, 6 de novembro de 2010

Não existe tal coisa como a segurança. O estado de se sentir seguro nada mais é que um ignorar todos os fatores de impoderabilidade e desdobramento de alguma questão (ou do próprio ser). Estar seguro é, na verdade, esquecer-se da noção de segurança e voltar-se ao presente, onde as coisas são somente em essência.