quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Hoje que tudo que está estranho e estamos mudos, passarei um café às nove horas da noite. Talvez a mente se alvoroce e se encaminhe para um lugar inédito, embora isso seja um expectativa alta pra quem cumpre ciclos de vício. Eu flutuo em mim, nem sempre é bom. Talvez eu espere que o doce amargo do café tenha gosto do amor que não alcanço ou da grama por trás dos muros que não ultrapasso.

Um comentário:

Lívia disse...

Maravilha. Coincidentemente passei café hoje as 9 da noite antes de começar a ver o filme. me identifiquei muito, ótimo texto. tu és ótima.