quarta-feira, 23 de junho de 2010

mínimo

Direto ao osso:
fui uma, duas, doze mulheres.
Só não fui eu.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Homenagem a Agnès


"...como um medium que registra o real pro-fílmico, uma tecnologia nas mãos da realizadora – no ecrã, dentro do enquadramento – enquanto instrumento privilegiado da respiga e da própria respigadora, que se filma a si mesma, sem narcisismo, no processo reflexivo de se observar a filmar observando a mão no ato de filmar a outra mão."

O mais profundo subjetivo emerge dos precedimentos mais simples.
Obrigada pela lição, Agnès.